25 pessoas retiradas de aldeias de Alvaiázere – Portugal

O incêndio que atingiu na terça-feira o concelho de Alvaiázere, no região de Leiria, e que se encontra em temporada de consolidação, obrigou à evacuação de aldeias, com registo de 25 deslocados, disse à dependência Lusa o presidente da Câmara.

“Foi um dia muito complicado. Tivemos vários reacendimentos com grande intensidade, o que nos obrigou a excretar várias aldeias. Tapume de 25 pessoas estão deslocadas e encontram-se no núcleo de protecção. Esperamos que possam revir às suas habitações ainda hoje [quarta-feira]”, afirmou João Paulo Guerreiro.

O autarca explicou que a evacuação foi necessária por sobreaviso, uma vez que as chamas se encontravam junto às habitações e porque o fumo era muito intenso.

“O importante é sempre salvaguardar as pessoas e os bens”, salientou João Paulo Guerreiro, que disse esperar com expectativa o dia desta quarta-feira, quando se esperam temperaturas elevadas.

O queimada em Alvaiázere, que se reacendeu na terça-feira, resulta de um incêndio no concelho de Ourém, no região de Santarém, que deflagrou na quinta-feira, pelas 16h37.

Segundo o sítio na Internet da Mando Pátrio de Emergência e Proteção Social, às 11h18, o incêndio estava classificado uma vez que em solução. Estavam no sítio 454 operacionais, apoiados por 149 viaturas.

Dezasseis dos 18 distritos de Portugal continental estão esta quarta-feira sob aviso vermelho, o mais grave, devido ao tempo quente, com mais de uma centena de concelhos em transe supremo de incêndio rústico, segundo o IPMA.

Os distritos de Braga, Vila Real, Bragança, Guarda, Viseu, Porto, Aveiro, Coimbra, Forte Branco, Leiria, Santarém, Lisboa, Portalegre, Setúbal, Évora e Beja vão estar até às 00:00 de quinta-feira sob aviso vermelho devido à persistência de valores extremamente elevados da temperatura máxima.

De negócio com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o aviso vermelho corresponde a “uma situação meteorológica de risco extremo”.

Devido a estas condições meteorológicas e à previsão de valores baixos de humidade relativa do ar, temporariamente inferiores a 20% em vastas áreas do interno, o transe de incêndio rústico apresentará as classes supremo e muito ressaltado em quase todo o interno setentrião e núcleo e no interno do Algarve até ao final desta semana.

Esta situação de tempo muito quente resulta da circulação de uma tamanho de ar muito quente e sedento, originária no setentrião de África, que irá persistir até sexta-feira, com valores de temperatura supra ou muito supra da média.

Portugal continental está desde segunda-feira em situação de contingência.


Nascente: https://www.cmjornal.pt/portugal/pormenor/25-pessoas-retiradas-de-aldeias-de-alvaiazere