A “desejo desmedida” de C. Tangana: um concerto para a história do SBSR

GettyImages 1406291465 scaled

.beginning-of-articles p {
background: #f3f3f3;
padding: 20px;
font-size: 16px;
}
body#dark .beginning-of-articles p {
background: #262626;
}

Tem chegada livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“Acho que depois disto me vou embora, não dá”, ouvíamos uma fã proferir, tinha o concerto terminado há poucos minutos. “Ainda o tenho a trovar dentro da cabeça, não quero ir para outro concerto já para não perder isto”, dizia outra. A que se referiam, por fim? Ao concerto mais impressionante da edição deste ano do Super Bock Super Rock. Sabemo-lo já, ainda a um dia de terminar o festival. El madrileño C. Tangana montou arraiais no Parque das Nações, levou uma catrefada de amigos a ingerir um copo em Lisboa e fez mais: elevou a fasquia do que um concerto pode ser em 2022.

“Pucho”, assim lhe chamam os fãs devotos que cantam todas as canções porquê se falassem fluentemente espanhol ou tivessem nascido em Murcia ou Salamanca, é um varão de ambições aparentemente desmedidas. Canta-o em “Un Veneno”, tema entoado esta sexta-feira à noite em Lisboa. Embora se refira aí a uma megalomania por “mulheres, volume e holofotes” que lhe está “a tirar a vida”, a desejo desmedida também é músico.

Leste cláusula é individual para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso escora a cliente.

Leia também:

  • Gouveia e Melo em Belém? “Logo se vê”

  • Isabel com 17 processos. Tchizé sem 1,4 milhões

  • Os inquisidores em Famalicão

  • Das “rosas” à indemnização: as acusações de Tchizé

Leia também:

  • Classe de Leon, vigor de A$AP: arrancou o SBSR

  • 2h. SBSR arranca depois de mudança relâmpago

  • “Estamos a montar um festival em 48 horas”

  • Festival de 3 dias, montado em 2? Há quem consiga

Leia também:

  • Otelo. Mural do 10 de Junho de 1974 vandalizado

  • “Pardais” é o novo livro de Adília Lopes

  • Uma vez que José Eduardo dos Santos dominou Angola

  • Van Gogh. Revelado autorretratode de 1885

Leia também:

  • As notícias das 2h

  • Auriol, um lançamento e outra final garantida

  • Morreu o principal líder da dissidência das FARC

  • Batatas fritas fora do menu do McDonald’s russo

Manadeira: https://observador.pt/2022/07/16/a-ambicao-desmedida-de-c-tangana-um-concerto-para-a-historia-no-sbsr/