Amazon acusa sindicalistas de ameaçarem trabalhadores para criarem sindicato

A Amazon estima que o grupo de sindicalistas que conseguiu uma vitória histórica em Novidade Iorque na semana passada “ameaçou” os empregados do conglomerado do transacção eletrónico para os forçar a votar em prol da geração de um sindicato.

Segundo documentos oficiais apresentados na quinta-feira junto do regulador federalista do trabalho (NLRB, na {sigla} em Inglês), a Amazon solicitou mais tempo para apresentar as objeções que o escrutínio lhe levanta. Em pessoal, a Amazon acuou militantes da Amazon Labor Union (ALU) de terem “intimidado” os assalariados.

Os assalariados do sítio JFK8, em Staten Island, votaram por maioria juntar-se à ALU, uma novidade num entreposto norte-americano da Amazon.

Segundo empregador nos EUA, depois da Walmart (distribuição), o grupo tinha conseguido desde a sua geração, em 1994, impedir as veleidades dos assalariados de se sindicalizarem.

A NLRB deu até sexta-feira à noite para a Amazon sujeitar as suas objeções e até 22 de abril para apresentar as suas provas.

No totalidade, estavam nos cadernos eleitorais 8325 do entreposto JFK8. Na votação que decorreu entre 25 e 30 março, votaram 4852 pessoas, das quais 2654 exprimiram-se pelo ‘sim’ contra 2131.


Manancial: https://www.jn.pt/mundo/amazon-acusa-sindicalistas-de-ameacarem-trabalhadores-para-criarem-sindicato-14753003.html