AVC e enfartes vão matar menos em 2030. Mas mortalidade por tumores malignos quase não desce

A mortalidade por tumores malignos deverá registar uma subtracção meramente residual até 2030 – de exclusivamente 0,5 óbitos por 100 milénio habitantes – e à custa da redução no sexo feminino, se as projecções que constam do novo Projecto Vernáculo de Saúde (PNS) se confirmarem. Já as projecções para o sexo masculino incluídas no extenso documento – que esta quinta-feira foi apresentado pela Direcção-Universal da Saúde (DGS) e entrou em consulta pública – apontam para a “estabilização perto dos valores actuais de 347,2 óbitos por 100 milénio habitantes”, mais do duplo do que se perspectiva para o sexo feminino em 2030. Os cancros continuarão, de resto, e em conjunto com as doenças do aparelho circulatório, a ser “os problemas de saúde de maior magnitude” na próxima dezena em Portugal, enfatiza-se no novo PNS que, pela primeira vez, tem um horizonte a dez anos (2021-2030).

Manancial: https://www.publico.pt/2022/04/07/sociedade/noticia/avc-enfartes-vao-matar-menos-2030-mortalidade-tumores-malignos-quase-nao-desce-2001782