Bolieiro assegura esteio a São Jorge “sem protagonismos políticos”

O presidente do Governo dos Açores assegurou leste sábado que o executivo açoriano está prestes para corresponder às necessidades efectivas das famílias e empresas de São Jorge, “sem protagonismos políticos de situação”.

José Manuel Bolieiro falava, na vila das Velas, na ilhéu de São Jorge, em seguida o “briefing” quotidiano para ponto da situação da crise sismovulcânica que se regista desde 19 de Março. O líder do Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM) está leste sábado em São Jorge para seguir o caso e reunir com a direcção da Câmara do Negócio da ilhéu.

Aos jornalistas, José Manuel Bolieiro reconheceu os impactos deste evento, que dura há mais de três semanas. “O Governo Regional está prestes para corresponder às necessidades efectivas”, salientou. Considera que é preciso dar prioridade à questão da protecção das populações e ter “a capacidade de reagir aos impactos socioeconómicos”. Vamos promover serenidade, responsabilidade, compromisso e solidariedade com toda a vida socioeconómica de São Jorge”, referiu.

Não se ficou por aí. “Houve um período e uma contingência que causou perda de rendimento e que continua. Agora há uma novidade que aumenta custos e nós temos de gerar um esquema de esteio que corresponda à inclusão destas circunstâncias: perda de rendimentos só por si, aumento de custos só por si ou acumulados uns e outros”, devidamente comprovados”, explicou, lembrando as consequências que as famílias e empresários passaram devido à pandemia de covid-19 e recentemente com a situação da guerra na Ucrânia.

O encarregado do governo regional assegurou que o executivo estará solidário e fará o séquito de toda a situação “sem protagonismos políticos de situação”.O social-democrata realçou o “compromisso com a verdade” e “a transparência da informação”, numa atitude de “vigilância” à situação da crise sismovulcânica que “a ciência recomenda”, enaltecendo o “importante trabalho” que o Meio de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) tem vindo a desenvolver” para prometer uma “informação transparente e verdadeira” às populações.

José Manuel Bolieiro garantiu que o executivo regional nunca transmitiu qualquer situação de rebate para evacuações e o que fez “foi a deslocalização” de pessoas, de concordância “com o programa e a chamada prudência”, seguindo a vigilância permanente do CIVISA. “Nós não fazemos de uma crise, de uma instabilidade emocional e de impaciência das populações um jogo de protagonismos políticos. Não aconselhamos, e até repudiamos, a tentativa dos protagonismos políticos de situação”, vincou, acrescentando possuir “perfeita sintonia” entre todos os serviços da governo regional, as autarquias, em privado a de Velas, assegurando “a normalidade do funcionamento dos serviços”.

O encarregado do executivo açoriano deixou ainda uma “termo de gratidão” e de “reconhecimento a todas as instituições” envolvidas no séquito da crise sismovulcânica em São Jorge, destacando o “enorme afinco” das instituições. “A capacidade instalada está conforme programado, a diligência, o séquito. A rotação dos profissionais e das Forças Armadas e Forças de Segurança está a ser feita para que não se diminua qualquer capacidade e, pelo contrário, se renove e se fortaleça”, sublinhou.

A ilhéu mantém o nível de alerta vulcânico V4 (prenúncio de erupção) de um totalidade de sete, em que V0 significa “estado de repouso” e V6 “erupção em curso”.

Manadeira: https://www.publico.pt/2022/04/09/sociedade/noticia/bolieiro-assegura-apoio-sao-jorge-protagonismos-politicos-2001985