Boris Johnson diz que massacre de Bucha mancha reputação de Putin

  • Em directo. Siga os últimos desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia
  • Guia visual: mapas, vídeos e imagens que explicam a guerra
  • Peculiar: Guerra na Ucrânia

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse leste sábado que o massacre de Bucha, na Ucrânia, manchou de forma permanente a reputação do Presidente russo, Vladimir Putin.

“O que Putin fez em Bucha e Irpin são crimes de guerra e mancharam de forma permanente a sua reputação e a representação do seu Governo”, afirmou Boris Johnson, numa enunciação conjunta com o Presidente ucraniano, Volodimir Zelenskii.

Na cidade ucraniana de Bucha, perto da capital, Kiev, foram encontrados numerosos corpos de civis depois da retirada das tropas russas. De Irpin, também às portas de Kiev, posteriormente a recuperação da cidade pelas tropas ucranianas, surgem também relatos de centenas de civis mortos.

Segundo o encarregado do Governo britânico, Putin “sofreu um revés” e “vai agora intensificar a pressão” na região do Donbass e no Leste.

Boris Johnson prometeu ainda enviar mais armamento para a Ucrânia e endurecer “semana posteriormente semana” as sanções contra a Rússia. O Reino Unificado entregará a Kiev 120 veículos blindados e sistemas de mísseis antinavio e antitanque.

Durante o encontro, os dois líderes falaram sobre ajuda económica e militar e Boris Johnson anunciou uma novidade rubrica de financiamento de 500 milhões de dólares (muro de 450 milhões de euros) para a Ucrânia através do Banco Mundial, o que eleva o montante totalidade de fundos comprometidos por esse meio para milénio milhões de dólares (muro de 910 milhões de euros).

A ajuda financeira, ainda sujeita à aprovação do Parlamento britânico, pretende “continuar a manter os serviços humanitários vitais em funcionamento”, segundo um transmitido do Governo do Reino Unificado.

“A Ucrânia desafiou as probabilidades e afastou as forças russas dos portões de Kiev”, disse o primeiro-ministro britânico, classificando a resistência ucraniana porquê “o maior feito de guerra do século XXI”. “Esta visitante é uma revelação do espeque resoluto, possante e contínuo do Reino Unificado à Ucrânia”, explicou Boris Johnson.

A Rússia lançou em 24 de Fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1626 civis, incluindo 132 crianças, e feriu 2267, entre os quais 197 menores, de combinação com os mais recentes dados da ONU, que alerta para a verosimilhança de o número real de vítimas civis ser muito maior.

Esta é a pior crise de refugiados na Europa desde a II Guerra Mundial (1939-1945) e as Nações Unidas calculam que muro de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária. A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Manadeira: https://www.publico.pt/2022/04/09/mundo/noticia/boris-johnson-massacre-bucha-mancha-reputacao-putin-2002016