Calabouço de Vale de Judeus às escuras

O Estabelecimento Prisional (EP) de Vale de Judeus sofreu cortes de força elétrica na noite de terça para esta quarta-feira. O Sindicato Vernáculo do Corpo da Guarda Prisional diz que “a prisão esteve sem eletricidade totalidade até as 3 horas da manha de dia 6”, mas a Direção-Universal de Reinserção e Serviços Prisionais “desmente que se tenha verificado quebra generalizada de força elétrica no Estabelecimento Prisional de Vale de Judeus”.

Com base em informações dos seus representantes em Vale Judeus, Frederico Morais, da direção do sindicato, diz que a prisão ficou completamente às escuras até às 3 horas “e, e partir dessa hora, só havia luz de presença em três pavilhões, no recinto meão havia só um holofote ligado, na pista periférica só havia 2 holofotes ligados”.

O dirigente sindical também comenta que, “para o muito e para o mal”, os reclusos foram avisados de que iria possuir um namoro de força. “Não foi uma tarefa fácil” prometer a segurança do EP “com simples lanternas durante o período noturno”, diz.

Por email, Frederico Morais referiu ainda ter “conhecimento de que o senhor diretor, comissario e patrão principal foram embora para lar ao final do dia, deixando a prisão na situação supra referida”.

Contactada pelo JN, a Direção-Universal desmente o alegado apagão universal: “Por se estar a proceder à substituição integral do quadro elétrico do estabelecimento por um novo, houve premência de ir desligando, faseadamente, a força elétrica enquanto esta passava a ser fornecida por um gerador, especifica e propositadamente, instalado para leste efeito”, respondeu a DGRSP, dizendo estar em pretexto “um trabalho programado e pronto no tempo, tendo os reclusos sido previamente informados que a luz poderia faltar pontualmente e por curtos períodos”.

A Direção-Universal diz, aliás, que “os serviços, nomeadamente de vigilância e de fornecimento de alimento”, foram “programados e organizados em função das obras que iriam percurso e dos constrangimentos temporários que delas resultam”.

Através do responsável pelas relações externas, José Semedo Moreira, a DGRSP previu “que os trabalhos, que decorreram ininterruptamente durante toda a noite, se concluam no decurso do dia de hoje”, quarta-feira.


Manadeira: https://www.jn.pt/justica/cadeia-de-vale-de-judeus-as-escuras-14748481.html