Cinco selecções já anunciaram quem vão levar ao Mundial

Já faltam menos de duas semanas para o início do Campeonato do Mundo de futebol, mas exclusivamente uma pequena porção das 32 equipas qualificadas já revelou os seus convocados – cinco, para se ser mais rigoroso. Uma das primeiras selecções a fazê-lo foi, precisamente, a mais vitoriosa de sempre em Mundiais (com cinco títulos). E houve uma surpresa na convocatória do Brasil.

A inclusão do lateral recta de 39 anos, Dani Alves, no lote de escolhidos de Tite causou espanto. Isto porque o jogador só actuou 12 vezes esta estação pelo Pumas (México) a última delas em Setembro, e está desde logo a treinar com o Barcelona B. Se jogar no Qatar, será o mais velho de sempre a simbolizar a “canarinha” num Mundial.

“Junta qualidade técnica individual, robustez física e paisagem mental” – assim justificou o seleccionador brasílico a convocatória de Dani Alves, na conferência de prelo de pregão da convocatória.

Quanto aos excluídos, talvez o nome mais sonante que ficou de fora seja o de Roberto Firmino. Esta estação, o avançado do Liverpool até tem mais golos marcados (8) do que Gabriel Jesus, Gabriel Martinelli, Antony, Raphinha e Richarlison – todos eles convocados –, mas não irá ao Qatar.

Nota ainda para o facto de a convocatória sofrear exclusivamente três jogadores que actuam no Brasil: Weverton (guarda-redes do Palmeiras), Everton Ribeiro (médio do Flamengo) e Pedro (avançado do Flamengo). Levante número é, de resto, o mesmo dos Mundiais de 2018, 2010 e 2006. Muito dissemelhante da última vez em que o Brasil venceu o Mundial (2002), quando mais de metade dos convocados jogavam no “Brasileirão”.

Costa Rica com caras conhecidas

A jogar o seu terceiro Mundial ininterrupto, a Costa Rica contará com dois ex-jogadores do Sporting.

Primeiro, Bryan Ruiz, presentemente com 37 anos, foi chamado à convocatória. O avançado que fez 18 golos pelos “leões” entre 2015 e 2018 está agora no clube onde se estreou porquê profissional, o Alajuelense. Com 144 internacionalizações, é o segundo jogador que mais vezes actuou pela Costa Rica.

Joel Campbell, avançado do Sporting na estação 2016/17, também foi convocado. Está de momento no Club León (México) e, com 118 internacionalizações, é também um dos mais experientes do plantel.

Depois, sem surpresas, há o guarda-redes Keylor Navas, a estrela da equipa; ainda não jogou esta estação no PSG, mas não deixa de ser uma das principais armas para enfrentar um grupo com Alemanha, Espanha e Japão.

Dinamarca (ainda) sem Bah

Revelando exclusivamente 21 dos 26 convocados finais, o seleccionador dinamarquês, Kasper Hjulmand, deixou de fora, para já, o lateral recta benfiquista Alexander Bah, que até tem estado em bom projecto, mas terá que esperar pelo dia 14 para saber a sua sorte.

De resto, há muitos nomes repetidos da equipa que chegou às meias-finais do Euro 2020. Kasper Schmeichel (Nice) será o guardião titular, depois há Kjaer (AC Milan) e Christensen (Barcelona) porquê alguns dos defesas; ainda há Eriksen (Man. United) e Hojbjerg (Tottenham) para o meio-campo, e Braithwaite (Espanyol) e Lindstrom (Eintracht Frankfurt) no ataque.

Japão e Austrália procuram surpresa

Na formação nipónica também há uma rosto conhecida do Sporting: Hidemasa Morita foi chamado ao Mundial, assim porquê outros que actuam no futebol europeu.

O medial Maya Yoshida (121 internacionalizações) é o mais experiente dos convocados, que também incluem o resguardo Tomiyasu (Arsenal), os médios Kamada (que tem sido associado ao Benfica) e Minamino (Monaco), ou o jovem avançado Kubo (Real Sociedad).

Resta a Austrália, que tem tido uma relação complicada com os golos desde que o seu melhor marcador de sempre, Tim Cahill, se retirou, em 2019.

De facto, não há nomes sonantes em termos de avançados australianos, sendo que uma das maiores esperanças da equipa é Jason Cummings (dos Médio Coast, Liga Australiana), que apontou três golos e três assistências em seis jogos nesta estação.

Mais detrás, no meio-campo, há o talentoso Aaron Mooy, que se apresenta porquê um ponto focal do jogo australiano e na marca há o experiente Matt Ryan, presentemente no Copenhaga, e que conta com quatro anos de experiência na Premier League.

Texto editado por Jorge Miguel Matias

Nascente: https://www.publico.pt/2022/11/08/desporto/noticia/cinco-seleccoes-ja-anunciaram-vao-levar-mundial-2026942