Diretor pátrio da PSP não sabe quando nem porquê será concluída a extinção do SEF

Superintendente-chefe Magina da Silva reuniu, ontem, com os sindicatos. Na próxima segunda-feira, será a vez do ministro da Governo Interna receber dirigentes sindicais e já há promessas de protestos na rua

O diretor pátrio da PSP, superintendente-chefe Magina da Silva, não sabe quando nem porquê será efetuada a fusão do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) com os restantes órgãos de polícia criminal. A garantia foi dada pelo próprio solene da PSP, numa reunião que, ontem, manteve com os sindicatos desta força policial. Para a próxima segunda-feira, está marcado um encontro entre as mesmas estruturas sindicais e o ministro da Governo Interna, José Luís Carneiro, e já há dirigentes a prometer reclamação na rua se o governante não for ao encontro das suas pretensões.

“O superintendente-chefe Magina da Silva explicou que o processo legislativo ainda se encontra a discurso e que a reorganização irá implicar a geração de uma unidade orgânica de segurança aeroportuária e controlo fronteiriço, cujos moldes ainda não estão definidos. Magina da Silva esclareceu também que ainda não existem previsões cronológicas concretas para a passagem das responsabilidades do SEF para a PSP, muito porquê para a GNR”, descreveu o Sindicato Independente dos Agentes de Polícia (SIAP).


Natividade: https://www.jn.pt/justica/diretor-nacional-da-psp-nao-sabe-quando-nem-como-sera-concluida-a-extincao-do-sef-15020784.html