Filha de Maradona diz que a camisola que vai a leilão não é a da “mão de Deus”

O leilão da camisola com que Diego Maradona marcou o golo com a “mão de Deus” à Inglaterra, no Mundial 1986 de futebol, está envolvido em polémica, com a família a alegar nesta quinta-feira que não é a mesma.

Dalma Maradona, filha do jogador prateado, que morreu em 2020, assegurou à Metro radio que a camisola que a Sotheby’s vai leiloar não é aquela com que o pai marcou os dois golos emblemáticos à Inglaterra, aos 51 e 55 minutos, mas a que ele usou durante a primeira secção do encontro, que os sul-americanos venceram por 2-1.

A Sotheby’s indica que utilizou tecnologia fotográfica para verificar de forma “conclusiva” de que vai leiloar a camisola usada por Maradona nos dois golos. “Foram analisados detalhes únicos de vários elementos do peça, incluindo o padrão, as riscas e o número”, declarou a leiloeira.

A camisola a leilão pertence ao ex-internacional inglês Steve Hodge, posteriormente troca com o prateado no referido jogo, em que Maradona marcou um golo com a ajuda da mão e outro considerado o melhor do século XX, e pode chegar aos 4,7 milhões de euros.

A filha do ex-campeão mundial disse que o pai não trocaria a emblemática camisola com Steve Hodge e disse que sabe quem está na sua posse, mas evitou informar o nome do possessor.

“Tenho a certeza de que ele [Hodge] não a tem e eu sei quem a tem”, declarou Dalma Maradona, acrescentando: “Não quero revelar quem a tem porque é uma loucura.”

Hodge afirmou há alguns anos ser o possessor da camisola histórica, que foi exibida num museu e será leiloada online de 20 de Abril a 4 de Maio.

Nascente: https://www.publico.pt/2022/04/07/desporto/noticia/familia-maradona-camisola-vai-leilao-nao-mao-deus-2001703