Marcelo antevê que orçamento terá de ser “reapreciado à medida que situação evoluir”

O Presidente da República anteviu esta sexta-feira que o Orçamento do Estado para 2022 terá de “ir sendo considerado e reapreciado à medida que a situação evoluir”, sobretudo em função da inflação.

Em declarações aos jornalistas, no NewsMuseum, em Sintra, região de Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa disse compreender a opção do Governo de não mudar o seu programa em função da novo lance económica e financeira resultante da guerra na Ucrânia e da pandemia de covid-19, tendo em conta a incerteza quanto à sua duração.

Relativamente ao Orçamento do Estado para 2022, acrescentou que, pelo contrário, “há certos indicadores que tinham de mudar”, “há coisas em que tinha de se mexer”, porque “já se sabe que a inflação é uma, já não é outra” e “não era provável apresentar uma inflação que já não correspondia à verdade”.

Em seguida, o superintendente de Estado realçou que a inflação “é uma agora, ninguém sabe se é uma daqui a um mês ou dois meses ou três meses”.

“Mesmo assim, chega? Ou não será um Orçamento que vai ter de ir sendo considerado e reapreciado à medida que a situação evoluir?”, perguntou portanto, dando a resposta: “É inevitável, é inevitável. Se a inflação minguar é uma coisa, se a inflação continuar a subir é outra coisa, são dois filmes diferentes.”

Nascente: https://www.publico.pt/2022/04/08/politica/noticia/marcelo-anteve-orcamento-tera-reapreciado-medida-situacao-evoluir-2001930