Mensageiro português chamado pelo Governo do Espiolhar por declarações “hostis”

image

O Governo do Espiolhar chamou esta quarta-feira o legado de Portugal no país, Paulo Neves Pocinho, para abordar o matéria de declarações feitas por várias figuras do Estado português, inclusive pelo Presidente da República, consideradas “hostis”.

Ao JN, o Ministério dos Negócios Estrangeiros confirmou “que o legado de Portugal em Doha esteve, conforme prática habitual, no Ministério dos Negócios Estrangeiros do Espiolhar, no quadro da preparação da movimento do sr. Presidente da República Portuguesa ao país, por ocasião do Campeonato Mundial de Futebol”.

Marcelo Rebelo de Sousa está em viagem para ver ao primeiro jogo da seleção portuguesa no Mundial 2022, contra o Gana, devendo chegar ao Qatar ao final da manhã desta quinta-feira.

Em motivo estarão as declarações que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa fez na terça-feira sobre a violação dos direitos humanos no Espiolhar, reforçando que irá “expor o que pensa sobre a situação política” e falará sobre a questão dos direitos humanos”, no contexto de uma iniciativa sobre ensino.

A viagem do patrão de Estado ao Espiolhar foi aprovada no Parlamento na terça-feira, com os votos contra da Iniciativa Liberal, BE, PAN, Livre e dos deputados socialistas Isabel Moreira, Alexandra Leitão, Carla Miranda e Pedro Franzino Alves. O PS, PSD (três deputados sociais-democratas abstiveram-se) e PCP votaram em prol da movimento, enquanto o Chega se absteve.


Nascente: https://www.jn.pt/vernáculo/embaixador-portugues-chamado-pelo-governo-do-catar-por-declaracoes-hostis–15382200.html