Oligarca apoiante de Putin financiou instauração do príncipe Carlos

  • Em directo. Siga os últimos desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia
  • Guia visual: mapas, vídeos e imagens que explicam a guerra
  • Peculiar: Guerra na Ucrânia

O nome do oligarca Viatcheslav Kantor foi adicionado, esta semana, à lista de pessoas sancionadas no Reino Unificado, para “mostrar à escol russa que não pode lavar as mãos das atrocidades cometidas por ordem de Putin”, indicou a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros, Liz Truss, citada pela BBC.

Mas, no Reino Unificado, o nome de Kantor acaba por compelir a família real para mais uma situação desconfortável: o magnata, accionista maioritário da Acron, empresa russa de fertilizantes minerais, com uma fortuna avaliada em 11,6 mil milhões de dólares (10.700 milhões de euros), foi um dos beneméritos da Instalação do Príncipe, à qual doou pelo menos 300 milénio libras (360 milénio euros) em 2000. O incidente está, agora, a ser lembrado para alertar o herdeiro da diadema para a urgência de se distanciar do numerário russo, uma vez que fez questão de sublinhar Graham Smith, do grupo antimonárquico Republic, ao Mirror.

Outros doadores russos para a filantropia do príncipe de Gales incluem os magnatas Yury Shamara e Oleg Smirnov, que não foram sancionados, e a Instalação do Príncipe está ainda a ser investigada sobre a aprovação de fundos em troca de títulos honoríficos, depois de um assistente do príncipe ter prometido o título de cavaleiro ao saudita Mahfouz Marei Mubarak bin Mahfouz. No entanto, a Clarence House é peremptória a expor que “o príncipe de Gales não tinha conhecimento da alegada oferta de honras ou cidadania britânica com base na doação às suas instituições de filantropia”.

No caso de Viatcheslav Kantor há ainda o facto de ser um dos principais financiadores do King Edward VII, o hospital a que a rainha recorre, e de terem sido as suas avultadas doações que permitiram edificar o Meio Médico Kantor, inaugurado nascente ano, que conta com sete andares de serviços de tratamento e diagnóstico.

Os outros oligarcas que se juntaram à lista são o fundador da empresa de fertilizantes Andrey Guryev, o director da empresa de fabrico de camiões Sergey Kogogogin, o produtor de diamantes Sergey Sergeyevich Ivanov, o dirigente da empresa de gás oriundo Leonid Mikhelson, o dirigente executivo da Gazprombank Andrey Akimov, o dirigente executivo da Gazpromneft Aleksander Dyukov e Boris Borisovich Rotenberg, o fruto do condómino do maior produtor russo de gasodutos SGM.

Manadeira: https://www.publico.pt/2022/04/08/impar/noticia/oligarca-apoiante-putin-financiou-fundacao-principe-carlos-2001851