Paralisia cerebral: o golo de Jack Grealish fez fulgir uma motivo em Doha

“O meu nome é Finlay e tenho 11 anos. Sou um grande fã do Manchester City e de Inglaterra. Tenho paralisia cerebral e vi que a tua mana também tem paralisia cerebral. És um bom irmão mais velho? Eu senhoril a forma porquê te dás com ela, realmente entendes.” Foi leste parágrafo em privativo, tirado da missiva que Finlay Fisher escreveu a Jack Grealish, que deixou o jogador inglês emocionado. De tal forma que, desde logo, nasceu uma relação estreita entre ambos, ao ponto de o criativo do Manchester City lhe ter devotado o golo que marcou ao Irão, na estreia no Qatar 2022.

Pode ter parecido estranho o movimento ondulante que Grealish utilizou para comemorar o golo que apontou aos 90’ e que fechou o triunfo de Inglaterra, por 6-2, no Estádio Internacional Khalifa. Mas promessa é promessa. Num encontro recente com Finlay, no início do mês, no núcleo de treinos do Manchester City, o pequeno sequaz pediu-lhe que reproduzisse uma espécie de dança que rotulou porquê “the worm” (A minhoca), quando apontasse um golo. O jogador ainda hesitou, por breves instantes, mas acabou por aquiescer. E cumpriu.


Jack Grealish tem sido um dos rostos mais mediáticos em Inglaterra no base à motivo da paralisia cerebral, principalmente porque tem a sensibilidade de quem convive de perto com a doença. Com a mana mais novidade, Hollie, que sofre precisamente de paralisia cerebral, tem uma relação muito estreita, tendo festejado com ela, em pleno relvado, o último título do Manchester City.

De resto, o avançado da selecção inglesa também viveu uma tragédia familiar quando tinha quatro anos, profundidade em que perdeu o irmão mais novo, ainda com nove meses, com síndrome da morte súbita infantil. Desde logo, tem homenageado todos os anos o pequeno Keelan, tendo-lhe, inclusive, devotado o primeiro golo da curso sénior, que aconteceu em 2013-14, ao serviço do Notts County.


A proximidade que agora mantém com Finlay também se explica à luz do pretérito, e a verdade é que, entre o encontro face a face, as promessas e uma camisola autografada, os dois continuam em contacto regularmente. O mais recente aconteceu mesmo depois do jogo com o Irão, conforme se pode ver no vídeo em incluído, em que Grealish, através de uma videochamada, pergunta ao jovem sequaz se viu o jogo e se acreditava que ele ia mesmo fazer a celebração acordada.

“Pensava que te tinhas esquecido”, respondeu Finlay. “Não, estás sempre na minha cabeça”, respondeu o jogador, que confessou que, quando entrou em campo, já não acreditava muito que ainda iria a tempo de marcar. Ainda foi. E com o golo deu voz a uma motivo que não conhece barreiras e que, para Finaly, seguramente valerá mais do que o troféu que será atribuído no dia 18 de Dezembro.

Nascente: https://www.publico.pt/2022/11/24/desporto/noticia/parilisia-cerebral-golo-jack-grealish-fez-brilhar-causa-doha-2028975