Pelo menos 238 milénio pessoas morreram devido à poluição do ar em 2020

image

A poluição do ar provocou a morte de, pelo menos, 238 milénio pessoas na União Europeia (UE), em 2020, mais do que no ano anterior, segundo um relatório da Filial Europeia do Envolvente (EEA, na {sigla} em inglês).

“A exposição a concentrações de partículas finas, supra das recomendações da Organização Mundial da Saúde, provocou 238 milénio mortes prematuras”, indicou a EEA num relatório.

Em 2019, tinham-se registado 231 milénio mortes causadas por estas partículas.

Conforme apontou, leste aumento justifica-se com facto de a covid-19 ter atingido, de forma mais agressiva, as pessoas com doenças pulmonares, cancro ou diabetes tipo dois.

Segundo a mesma estudo, ainda que o valor seja “significativo”, entre 2005 e 2020, verificou-se uma descida de 45% no número de mortes.

A EEA detalhou ainda que, entre 2019 e 2020, o número de mortes prematuras devido à poluição do ar aumentou considerando as partículas finas PM2,5, mas recuou no que se refere ao dióxido de nitrogénio e ao ozono.

De tratado com a dependência, a UE está no bom caminho para atingir o seu objetivo de reduzir em 50% o número de mortes prematuras devido à poluição do ar em 2030, comparando com 2005.


Natividade: https://www.jn.pt/mundo/pelo-menos-238-mil-pessoas-morreram-devido-a-poluicao-do-ar-em-2020-15382306.html