Portal do SNS passa a ter informação sobre centros de saúde abertos até mais tarde

O Portal do SNS tem disponível a partir desta quarta-feira e de forma actualizada, a informação dos centros de saúde que estão abertos até mais tarde. Esta é uma das medidas anunciadas esta quarta-feira pela secretária de Estado da Promoção da Saúde na apresentação do projecto de Inverno elaborado pelo ministério. Segundo adiantou o ministro Manuel Pizarro, na extensão de Lisboa e Vale do Tejo já há 36 centros de saúde a funcionar com horário alargado.

A informação sobre os centros de saúde abertos fora de horas pode ser consultada aqui. Escolhido o núcleo, o utente pode deslocar-se sem que tenha de ir à unidade correspondente à sua morada ou onde está inscrito. Para já só existe informação sobre os cuidados de saúde primários da região de Lisboa e Vale do Tejo.

A medida, explicaram os responsáveis pela pasta da saúde, pretende reduzir a procura das urgências hospitalares por secção de doentes que, tendo uma doença aguda, não precisam de cuidados tão diferenciados por não ser uma situação de elevada seriedade.

“Nos cuidados de saúde dividimos as medidas e implementamo-las mais em três partes. Umas antes do serviço de urgência, porque queremos evitar o que estamos a ver e ouvir. Queremos melhorar as respostas anteriores às urgências, com fluxogramas adaptados no SNS24, que deve ser a porta da ingresso para as urgências”, explicou a secretária de Estado Margarida Tavares.

Salientando que a orientação desta traço “é fundamental”, destacou também a “boa fala” que deve viver entre o SNS 24 e os cuidados de saúde primários e com o INEM. “Deve ser feito o dilatação dos cuidados de saúde primários para mitigar urgências”, acrescentou, referindo que haverá também uma monitorização jacente dos dados relativos à procura que permitam ajustar a resposta perante as necessidades e dar toda a informação aos utentes, tendo sido criada uma equipa no Ministério da Saúde para o efeito.

“Vamos ter um portal com informação actualizada para que as pessoas possam acorrer aos locais abertos. Queremos que tenham informação fácil, para saber o que está ingénuo e até que horas nos cuidados de saúde primários”, explicou.

O projecto tem também privativo atenção aos mais vulneráveis, nomeadamente os que residem em lares. Haverá um base de telessaúde para os profissionais via SNS 24, promovendo os cuidados na instituição e evitando deslocações desnecessárias aos hospitais ao mesmo tempo que fornece informação de uma forma mais imediata.

500 camas para casos sociais

Com a pressão nos hospitais a fazer notícias, o objectivo do Ministério da Saúde é que nascente projecto possa ajudar no “movimento e na fluidez das urgências”. Mas Manuel Pizarro afirmou que não irá resolver os problemas. Esses, disse, precisam de medidas mais estruturais que serão tomadas ao longo do próximo ano.

Margarida Tavares afirmou que “é fundamental” que às urgências “ocorram só os que mais necessitam e que sejam internados o mais rapidamente”. Razão pela qual se pretende promover uma melhor gestão de altas. Haverá também privativo atenção à retenção de ambulâncias à porta das urgências e, por isso, “cada urgência terá um projecto de contingência específico para isso”.

Faz também secção do projecto a existência de uma “Via verdejante” entre os agrupamentos de centros de saúde e os hospitais para que estes últimos possam fazer a referenciação para consultas rápidas, marcadas em menos de 24 horas, nos centros de saúde dos doentes com pulseiras verdes e azuis.

“Queremos olhar para fluxo dentro do internamento hospitalar. Além das equipas de gestão de vagas, queremos uma melhor fala com Rede Vernáculo de Cuidados Continuados Integrados e desenvolver um programa com a Segurança Social e agilizando a saída de quem já não precisa de cuidados clínicos”, explicou Margarida Tavares.

“Já temos murado de 500 lugares garantidos que começarão a ser utilizados alguns ainda esta semana, mas seguramente na próxima”, afirmou o ministro da Saúde, que aproveitou para anunciar que desde esta quarta-feira há vivenda ocasião para os mais de 65 anos para o reforço da vacina contra a covid. Neste campo, Manuel Pizarro defendeu que esta é a melhor medida de prevenção e que espera chegar ao Natal com três milhões de vacinados, cumprindo a meta proposta.

Nascente: https://www.publico.pt/2022/11/23/sociedade/noticia/portal-sns-passa-informacao-centros-saude-abertos-ate-tarde-2028846