Primeiro-ministro do Paquistão derrubado por moção de repreensão

O primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan, foi hoje derrubado por uma moção de repreensão aprovada pela Câmara Vernáculo, na sequência de várias semanas de crise política.

A moção foi “aprovada” por 174 dos 342 deputados, anunciou o presidente em treino da Câmara, Sardar Ayaz Sadiq.

Nenhum primeiro-ministro cumpriu o seu procuração no Paquistão desde a independência do país em 1947, mas Imran Khan é o primeiro director de governo paquistanês a desabar numa moção de repreensão.

O seu sucessor avante dos destinos da república islâmica de 220 milhões de habitantes e dotado de armas nucleares deverá ser Shehbaz Sharif, líder da Liga Muçulmana do Paquistão (PML-N).

Imran Khan, 69 anos, famoso por conduzir a equipa vernáculo de críquete, desporto rei do país, à sua única vitória no Campeonato do Mundo em 1992, e que se tornou primeiro-ministro em 2018, tem tentado tudo para se manter no poder.

Os seus apoiantes recusaram-se inicialmente a pôr à votação a moção de repreensão no domingo pretérito e optaram por dissolver a Câmara, para convocar eleições antecipadas.

Mas o Supremo Tribunal considerou todo o processo inconstitucional, restabeleceu a Câmara e ordenou a votação, que levou à saída de Imran Khan.


Manadeira: https://www.jn.pt/mundo/primeiro-ministro-do-paquistao-derrubado-por-mocao-de-censura–14758600.html