Pró-russos acusam ucranianos da perda de 200 milénio toneladas de cereais – Guerra na Ucrânia

A governo pró-russa de Kherson, no sul da Ucrânia, acusou hoje as forças ucranianas de serem responsáveis pela perda de muro 200.000 toneladas de cereais na região, devido a queimadas e colocação de minas.

“Não são só as culturas queimadas que se perdem, segmento dos campos (…) está minada”, disse o patrão da governo de ocupação russa, Vladimir Saldo, à dependência solene TASS.

Saldo disse que, por essas razões, “a região de Kherson não poderá colher 200 milénio toneladas de cereais”.

A TASS divulgou estas declarações no dia em que peritos militares da Rússia, Ucrânia e Turquia, e representantes da ONU se reúnem na cidade turca de Istambul para tentar desbloquear a exportação cereais ucranianos retidos nos portos do Mar Preto.

Mais de 20 milhões de toneladas de grãos e sementes de girassol estão bloqueados nos portos ucranianos do Mar Preto, na sequência da guerra iniciada pela Rússia em 24 de fevereiro.

Kherson é uma importante região agrícola na Ucrânia e tem estado sob ocupação russa desde os primeiros dias da invasão.

Nas últimas semanas, as forças ucranianas reconquistaram terreno na região, segundo a dependência francesa AFP.

As autoridades ucranianas acusam a Rússia de incendiar as colheitas do país, roubar colheitas das áreas ocupadas e bloquear as exportações marítimas de cereais ucranianos.

A Rússia rejeita estas acusações.

A guerra na Ucrânia fez temer uma situação de escassez fomentar a nível global, oferecido que o conflito opõe dois importantes produtores agrícolas mundiais.

Em conjunto, segundo a revista britânica The Economist, a Ucrânia e a Rússia fornecem 28% do trigo consumido no mundo, 29% da cevada, 15% do milho e 75% do óleo de girassol.

A escassez global destes produtos é agravada pela falta de fertilizantes, que a Rússia deixou de exportar desde o início da guerra.

O maior tropeço para se chegar a um congraçamento tem sido o controlo dos navios que cheguem à Ucrânia, uma vez que Moscovo quer registá-los para prometer que não transportam armas, uma exigência que Kiev rejeita.

O lado ucraniano pede garantias de segurança contra ataques russos se concordar em remover as minas marítimas que colocou para proteger os seus portos.

A guerra na Ucrânia entrou hoje no 140.º dia, mas desconhece-se o número de baixas civis e militares.

A ONU confirmou a morte de mais 5 milénio civis desde a invasão russa, mas tem alertado que o número será consideravelmente superior.

Os aliados ocidentais têm decretado sucessivos pacotes de sanções contra a Rússia e fornecido armas à Ucrânia para ajudar a combater as forças de Moscovo.


Natividade: https://www.cmjornal.pt/mais-cm/especiais/guerra-na-ucrania/pormenor/pro-russos-acusam-ucranianos-da-perda-de-200-mil-toneladas-de-cereais