Rui Moreira apresentou o renovado Mercado do Bolhão, mas há comerciantes descontentes. “Não tenho condições para vender o meu resultado”

mno apresentacao marca bolhao 16

.beginning-of-articles p {
background: #f3f3f3;
padding: 20px;
font-size: 16px;
}
body#dark .beginning-of-articles p {
background: #262626;
}

Tem entrada livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

É uma das obras mais esperadas na cidade do Porto, em seguida quatro anos de uma complexa empreitada de restauro e conservação com alguns contratempos, o Mercado do Bolhão vai reabrir ao público a 15 de setembro. O presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, apresentou esta sexta-feira a imagem gráfica do mercado municipal, garante que os trabalhos estão praticamente concluídos, mas parece faltar o consenso entre os 64 comerciantes históricos, que desde maio de 2018 vendem os seus produtos num espaço temporário situado no outro lado da rua.

Três anos e meio depois, o Mercado do Bolhão continua por terebrar. “Só acredito quando lá entrar”, dizem comerciantes

Leste cláusula é individual para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso espeque a cliente.

Nascente: https://observador.pt/especiais/rui-moreira-apresentou-o-renovado-mercado-do-bolhao-mas-ha-comerciantes-descontentes-nao-tenho-condicoes-para-vender-o-meu-produto/