Saúde, segurança e bem-estar no trabalho é fundamental, destaca Marta Temido

36899555

A ministra da Saúde, Marta Temido, salientou esta quarta-feira a preço da promoção da saúde, bem-estar e segurança em contexto laboral, um tema no qual, disse, o Governo vai continuar a investir.

“Acreditamos que oriente é um investimento público que vale a pena, é um investimento com retorno guardado, e continuaremos a impulsionar nas nossas ações a saúde ocupacional, um trabalho digno, e a proteção e promoção da saúde de todos os trabalhadores em universal, e na governo pública em privado”, disse.

A ministra falava numa protocolo em Lisboa, promovida pela Ordem dos Psicólogos, de entrega de prémios a organizações nacionais com práticas de gestão promotora de segurança, bem-estar e saúde no sítio de trabalho, os prémios “Locais de Trabalho Saudáveis 2022”.

Falando na sinceridade da protocolo a ministra recordou uma vez que, na sequência da pandemia de Covid-19, “as organizações se reinventaram” para responder a uma verdade novidade, que nalguns casos agravou riscos ocupacionais, e que gerou novas formas de trabalho, fosse o teletrabalho fosse a permanência contínua no sítio de trabalho, para evitar exposições a riscos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Marta Temido deixou “uma vocábulo de reconhecimento a todos os trabalhadores do país, a todos os profissionais de saúde que, em contexto de pandemia se encontraram expostos a um maior risco para a sua saúde física, mental e social”, com os psicólogos, acrescentou, a terem também de se conciliar a uma novidade forma de trabalhar.

A crise de saúde pública, disse Marta Temido, evidenciou a preço da promoção da saúde, bem-estar e segurança no contexto laboral, fatores que devem continuar a ser salvaguardados num contexto de recuperação, porque “usufruir de um envolvente de trabalho saudável e seguro é um recta fundamental para qualquer profissional” e o Governo reconhece essa preço.

Francisco Miranda Rodrigues, bastonário da Ordem dos Psicólogos Portugueses, também salientou a preço de um envolvente de trabalho saudável, disse que os prémios atribuídos esta quarta-feira são um incitação para continuar a trabalhar na promoção de boas condições de trabalho, e salientou que o bem-estar do trabalhador tem uma relação direta com a produtividade.

Por isso, acrescentou, “não é admissível” que num país os grandes recursos são as pessoas estes se possam desperdiçar.

Num relatório de 2019, disse Francisco Miranda Rodrigues, só as empresas privadas dos setores não financeiros tiveram custos diretos relacionados com o absentismo, causado por stress e problemas psicológicos, estimados em 3,2 milénio milhões de euros, “três pontes Vasco da Gama”.

A iniciativa da Ordem é uma parceria com a Poder para as Condições de Trabalho e com a Escritório Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho.

Leia também:

  • O massacre de Bucha e Alexandre Guerreiro

  • O que (não) se sabe sobre o ataque à Sonae

  • Comentador pró-Putin defende “desucranianização”

  • Memória passada (I)

Leia também:

  • Dois melões estragados no Governo

  • Ministra admite substanciar centros de saúde

  • 17h. Ataque russo a Lviv faz pelo menos 5 feridos

  • 15h. Marcelo Rebelo de Sousa vai amanhã a S. Jorge

Leia também:

  • Iniciativa Liberal quer termo inopino das máscaras

  • PCP pede investigação “a situações” em Bucha

  • Parlamento aprova invitação a Zelensky. PCP contra 

  • AR prepara-se para assinar invitação a Zelensky 

Leia também:

  • As notícias das 2h

  • CCAH reclama de falta de transparência de processos

  • Bancos russos minimizam sanções

  • 1h. Zelensky. “Novas sanções não chegam”

Manancial: https://observador.pt/2022/04/07/saude-seguranca-e-bem-estar-no-trabalho-e-fundamental-destaca-marta-temido/