Seis anos de prisão para varão que ateou incêndio em habitação em Águeda – Portugal

O Tribunal de Aveiro condenou esta sexta-feira a seis anos de prisão um varão de 34 anos denunciado de ter ateado um incêndio nuns anexos arrendados onde residia com a companheira, em Arranque do Vouga, no concelho de Águeda.

O coletivo de juízes deu uma vez que provado o transgressão de incêndio, muito uma vez que o transgressão de violência doméstica, por agressões físicas, psicológicas e verbais sobre a companheira.

Em montão jurídico, foi-lhe aplicada uma pena única de seis anos de prisão.

O arguido, que se encontra em prisão preventiva, foi ainda réprobo a remunerar uma indemnização de 23.200 euros ao proprietário dos anexos que foram destruídos pelas chamas.

Durante o julgamento, o arguido negou ter ateado o incêndio, afirmando que quando chegou a lar deparou-se com o sofá a chamejar e explicou que não fez zero para extinguir as chamas, porque “o entrada à chuva não era fácil”.

“A minha prioridade naquela profundeza foi tirar as gatas e trespassar para a rua. Tive receio de entrar outra vez e expor-me a uma situação de risco”, declarou, afirmando ainda não ter dotes de bombeiro.

Negou também as agressões de que seria vítima a companheira, uma surda-muda.

Os factos criminosos ocorreram na madrugada de 30 de agosto de 2021.

Segundo a querela do Ministério Público, o arguido chegou a lar depois de ter estado no moca a ingerir bebidas alcoólicas e bateu à porta a pedir para entrar. Porquê a ofendida não ouvia e não lhe abriu a porta, o arguido arrombou a mesma a pontapé e depois de entrar em lar agrediu a companheira com murros e voltou a trespassar.

Mais tarde, regressou à residência, mas já não encontrou a ofendida, que tinha sido transportada pela GNR para o posto para ser acolhida pela Cruz Vermelha, e terá ateado queima à habitação, ficando no exterior a ver às chamas, sem invocar os bombeiros.

De concórdia com a investigação, o queima alastrou-se às paredes e tetos da sala que ficou completamente destruída e ainda à restante habitação que sofreu “intensa carbonização” tendo a cobertura da lar ficado completamente destruída.


Manadeira: https://www.cmjornal.pt/portugal/pormenor/seis-anos-de-prisao-para-homem-que-ateou-incendio-em-habitacao-em-agueda