Um IndieLisboa “super proveniente” com a maior competição portuguesa de sempre

Em 18 anos de existência de IndieLisboa, a edição 2022, a decorrer entre 28 de Abril e 8 de Maio, marca a primeira vez que a Competição Pátrio do festival – esta terça-feira anunciada merece, verdadeiramente, tal epíteto: nove longas-metragens nove, de origens muito diferentes, de cineastas veteranos e jovens. Unicamente uma é absolutamente inédita – Detrás Dessas Paredes (produção Rosa Filmes), de Manuel Mozos – mas as restantes oito, em estreia vernáculo, deram já início a um bom trajectória internacional.

Do festival de Berlim vêm quatro títulos, encabeçados por uma das mais fulgurantes estreias na longa de qualquer cinematografia recente Super Proveniente (Ukbar Filmes) de Jorge Jácome, que venceu o prémio FIPRESCI no festival boche. Também de Berlim vêm o generoso documentário Águas de Pastaza (Oublaum) de Inês T. Alves, o “soco no estômago” Mato Sequioso em Chamas (Cinco da Setentrião/Terratreme) de Joana Pimenta e Adirley Queirós e a requintada comédia desconstruída O Trio em Mi Bemol (Basilisco) de Rita Azevedo Gomes.

Via Setentrião, a segunda longa documental de Paulo Carneiro depois de Bostofrio (co-produção luso-suíça-uruguaia, Bam Bam Cinema/Vento Poderoso/HEAD/La Pobladora), entra no Indie somente duas semanas depois a sua estreia no festival suíço Visions du Réel; e o documentário Viagem ao Sol (Kintop) de Susana de Sousa Dias e Ansgar Schaefer, que prolonga o trabalho sobre a imagem de registo da realizadora de 48 e Luz Obscura estreou-se em Novembro no IDFA de Amesterdão.

Finalmente, a ficção Frágil (Promenade) de Pedro Henrique, e o ensaio-documentário Rua dos Anjos (Kintop/Refinaria Filmes), criado pela actriz brasileira Renata Ferraz a meias com a entretanto falecida stripper Maria Roxo e inspirado pela sua participação em Estive em Lisboa e Pensei em Você de José Barahona, estrearam no festival americano de Ann Arbor em Março último.

Escusado será expor, é o maior concurso vernáculo de sempre do Indie em número de filmes – e pelo que dele já conhecemos também o mais consistente.

Nas curtas, estarão a concurso 16 filmes – os títulos mais “chamativos” serão Tornar-se um Varão na Idade Média, que deu a Pedro Neves Marques o prémio sumo das curtas no festival de Roterdão, e By Flávio, de Pedro Cabeleira, também estreado em Berlim. Mas será também a oportunidade de descobrirmos uma supimpa curta estreada em Roterdão, Azul de Ágata de Pinho, e Domy + Ailucha, Cenas Kets!, novo título de Ico Costa, premiado há poucas semanas no festival parisiense Cinéma du Réel.

Os outros títulos: Às Vezes os Dias, às Vezes a Vida, de Janine Gonçalves; Antes de Mim, o Termo de Inês Luís; O Banho, de Maria Inês Gonçalves; Um Caroço de Abacate, de Ary Zara; Cemitério Vermelho, de Francisco Lacerda; Comezainas, de Mafalda Salgueiro; Idade Óssea – Um Filme em Sete Quadros, de Isabel Aboim Inglez; Místida, de Falcão Nhaga; Ocelot, de Bernardo de Jeurissen; Presente, de Francisco Valente; Raquel, de Duarte Amaral Netto; e Subir e Sumir, de Francisco Queimadela e Mariana Caló.

A evidenciar ainda as sessões especiais que completarão a programação competitiva do Indie. Haverá João Botelho vezes dois, com a ficção Um Filme em Forma de Assim, a partir de Alexandre O’Neill, e o documentário O Jovem Cunhal. A exploração das memórias do regime salazarista está na base de três outros documentários: Margarida Cardoso assina SITA – A Vida e o Tempo de Sita Valles, sobre a militante comunista angolana morta em 1977; Marta Pessoa traz Um Nome para o Que Sou, que explora o retrato da exigência feminina portuguesa na primeira metade do século XX tal porquê visto por Maria Lamas no livro As Mulheres do Meu País (1948-1950); e João Trabulo mostra Lisboa, Cidade Triste e Prazenteiro, inspirado pelo livro clássico de Victor Palla.

Finalmente, haverá em ante-estreia portuguesa a longa A Viagem de Pedro da brasileira Laís Bodanzky (Porquê Nossos Pais), à volta do revinda a Portugal do ex-imperador do Brasil.

Manadeira: https://www.publico.pt/2022/04/06/culturaipsilon/noticia/indielisboa-super-natural-maior-competicao-portuguesa-2001476