Zelenskii apela a “resposta global firme” posteriormente ataque a Kramatorsk e diz possuir provas de crimes de guerra russos

  • Em directo. Siga os últimos desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia
  • Guia visual: mapas, vídeos e imagens que explicam a guerra
  • Próprio: Guerra na Ucrânia

O Presidente ucraniano, Volodimir Zelenskii, apelou a uma “resposta global firme” à Rússia posteriormente o ataque à estação ferroviária em Kramatorsk, no Leste ucraniano.

“Leste é outro transgressão de guerra russo pelo qual todos os envolvidos serão responsabilizados”, disse Zelenskii numa mensagem de vídeo, referindo-se ao ataque com mísseis à estação de comboios, esta sexta-feira, que matou pelo menos 52 pessoas, incluindo oito crianças, de negócio com as autoridades locais.

“As potências mundiais já condenaram o ataque da Rússia a Kramatorsk. Esperamos uma possante resposta global a leste transgressão de guerra”, afirmou Zelenskii, citado pela AFP.

O Presidente ucraniano precisou ainda que tal uma vez que “nos massacres em Bucha, uma vez que em muitos outros crimes de guerra russos, o ataque com mísseis em Kramatorsk deve ser uma das acusações que devem ser levadas a tribunal”.


Apesar de a estação estar localizada num território controlado pelo governo ucraniano, no Donbass, a Rússia acusou a Ucrânia da autoria do ataque, refere a Associated Press.

Especialistas ocidentais rejeitaram, todavia, as afirmações do porta-voz do Kremlin, Dimitri Peskov, de que as forças russas “não usam” o tipo de míssil que atingiu a estação de comboios.

Há provas de crimes de guerra russos

Num outro momento, o Presidente ucraniano disse ainda que o serviço de segurança do país interceptou comunicações de tropas russas que fornecem provas de crimes de guerra.

“Há soldados a conversar com os seus pais sobre o que roubaram e quem raptaram. Há gravações de prisioneiros de guerra que admitiram matar pessoas”, disse Zelenskii, num excerto de uma entrevista ao programa 60 Minutes da CBS, que foi para o ar na sexta-feira.

“Há pilotos na prisão que tinham mapas com alvos civis a bombardear. Também há investigações que estão a ser conduzidas com base em sobras mortais”, disse ele, numa tradução fornecida pela televisão norte-americana.

Zelenskii disse que “todos os que tomaram uma decisão, que emitiram uma ordem, que cumpriram uma ordem” são culpados de crimes de guerra. Questionado sobre se responsabiliza o Presidente russo, Vladimir Putin, o líder ucraniano disse: “Acredito que ele seja um deles”.

O gabinete da procuradora-geral ucraniana Irina Venediktova está a investigar as mortes em Bucha, na região administrativa de Kiev, e outras baixas em volume com civis, uma vez que possíveis crimes de guerra.

No pretérito fim-de-semana, foram encontrados em Bucha centenas de civis mortos nas ruas e em valas comuns, posteriormente a retirada dos militares russos.

A Rússia lançou a 24 de Fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1626 civis, incluindo 132 crianças, e feriu 2267, entre os quais 197 menores, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a verosimilhança de o número real de vítimas civis ser muito maior.

A guerra já causou um número indeterminado de baixas militares e a fuga de mais de 11 milhões de pessoas, das quais 4,3 milhões para os países vizinhos.

Esta é a pior crise de refugiados na Europa desde a II Guerra Mundial (1939-1945) e as Nações Unidas calculam que muro de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Manancial: https://www.publico.pt/2022/04/09/mundo/noticia/zelenskii-apela-resposta-global-firme-apos-ataque-kramatorsk-haver-provas-crimes-guerra-russos-2001957